segunda-feira, 30 de março de 2015

sexta-feira, 27 de março de 2015

quinta-feira, 26 de março de 2015

Telefone com problemas

Informamos que nossos telefones no Receptivo Museu Peter Lund estão com problemas.

Caso precise fazer contato conosco, gentileza ligar no (31) 3661 8122 (Receptivo Casa Fernão Dias).

"Alimentação de lambaris na área cárstica de Lagoa Santa, MG"

O boletim de divulgação científica ‘MG.BIOTA’ é publicado trimestralmente pelo Instituto Estadual de Florestas e busca divulgar o conhecimento da biodiversidade mineira.

 
 
Segue o link do artigo "Alimentação de lambaris na área cárstica de Lagoa Santa, MG", com estudos feitos no córrego Samambaia e na gruta Lapa das Pacas, no Parque Estadual do Sumidouro:
 

Aconteceu no PESU

No dia 20 de março, o Parque Estadual do Sumidouro recebeu os participantes do Seminário “Proteção do Patrimônio Espeleológico Brasileiro”, oferecido pela Procuradoria da República em Minas Gerais.
 
Os temas abordados durante o encontro versaram sobre histórico da legislação sobre cavidades subterrâneas, importância do patrimônio espeleológico, particularidades das cavernas do Quadrilátero Ferrífero, atuação da Sociedade Brasileira de Espeleologia, além do papel do Tribunal Contas da União relacionado a cavidades.
 
No segundo e último dia do evento, os participantes tiveram a oportunidade de conhecer as grutas da Lapinha e da Macumba, além de visitarem o Museu Arqueológico da Lapinha.


 
Fotos: Luciano Faria (Sociedade Brasileira de Espeleologia)

sexta-feira, 20 de março de 2015

Fauna do PESU


A cascavel, nome genérico dado às cobras peçonhentas do gênero Crotalus, é muito comum na região do Parque Estadual do Sumidouro.

Sua caracteristica mais marcante é um chocalho localizado na parte posterior do corpo. Esse guizo é formado à medida que ocorre a troca de pele e, com o tempo, essas partes de epiderme ressecada, quando agitadas, emitem som característico, cuja finalidade é advertir.

Vale lembrar que as cobras atacam quando se sentem ameaçadas e para se alimentarem, portanto, merecem o devido respeito com qualquer outro ser vivo!

Possuem hábito crepuscular e noturno e se alimentam principalmente de pequenos roedores.

 
Foto: Cíntia Avelar Palhares

terça-feira, 17 de março de 2015

Parque Estadual do Sumidouro na rota do turismo

Na dia 11 de março, o Parque Estadual do Sumidouro recebeu a visita dos turistas Sara e Pedro. A bordo de um motorhome cheio de histórias, os dois vinham do Parque Nacional da Serra do Cipó.
 
Pedro é mexicano e deixou o seu país há cinco anos para percorrer a América do Sul até a Terra do Fogo, região mais ao sul mundo. Agora, após infinitas experiências e “causos”, inicia seu retorno ao México. No regresso, acabou conhecendo Sara, paulistana que há poucas semanas largou tudo, inclusive a vida estressante de uma das maiores cidades do globo, para desfrutar as aventuras da estrada.
 
Sara destacou que o mais marcante da viagem são as paisagens e as pessoas que eles têm encontrado.
 
Histórias como a do casal mostram como tem aumentado o número de pessoas que viajam de forma autônoma, criando seus próprios roteiros e utilizando as redes sociais e aplicativos para efetuarem pesquisas sobre lugares e rotas, com atrativos e serviços disponíveis.
 
A partir de dicas e relatos de boas experiências, o Parque Estadual do Sumidouro tem recebido viajantes em veículos do tipo motorhome, como dois casais de franceses que, em 2014, passaram pela Rota das Grutas Peter Lund, vindo de Porto Alegre, com o objetivo de passar na Serra da Capivara, Estado do Piauí, e retornar para a França por Fortaleza.
 
Interessante que o mexicano e sua companheira estavam de passagem pelo Parque Estadual do Sumidouro, numa rota de unidades de conservação, vindos anteriormente do Parque Nacional da Serra do Cipó, com passagem programada pelo Parque Nacional da Serra da Canastra.
 
Desta forma, o foco é estarmos preparados para receber bem e divulgar a nossa região, oferecendo experiências positivas a serem compartilhadas e curtidas.
 
A equipe do Parque Estadual do Sumidouro agradece a visita!

 
 
 
Foto: Cíntia Avelar Palhares
 
 


segunda-feira, 16 de março de 2015

E você, sabe qual a origem do nome “Sumidouro”?

O Parque Estadual do Sumidouro está localizado nos distritos de Lapinha (Lagoa Santa), Fidalgo e Quinta do Sumidouro (Pedro Leopoldo).

Quinta é uma extensão de terra cultivada.

Sumidouro é a região do Anhanhonhacanhuva, terminologia indígena que quer dizer ”água parada que some no buraco da terra”. Quem conhece a região sabe que a lagoa do Sumidouro “some” em lindo e imenso paredão calcário, adornado por curiosas pinturas rupestres, e atinge o sistema subterrâneo de águas.

A Quinta do Sumidouro foi fundada no século XVII, nos anos de 1674 e 1675, sendo o seu nome original São João do Sumidouro.

Resolvendo permanecer na região enquanto não chegavam os suprimentos solicitados de São Paulo, Fernão Dias Paes Leme, bandeirante que busca ouro na região, escolheu nos arredores uma porção de terra fértil e iniciou uma roça de cereais, por isso o nome Quinta do Sumidouro.

Além de nossas riquezas naturais, arqueológicas, paleontológicas e espeleológicas, guardamos um bem muito precioso: nosso passado, nossa cultura. Prestigie-nos com sua visita!
 
 
 Foto: Recepção Casa Fernão Dias, Quinta do Sumidouro. Crédito: Evandro Rodney
 

quinta-feira, 12 de março de 2015

Ação do Conselho Consultivo para regularização fundiária

Foi enviado ao Governador de Minas, Fernando Pimentel, moção do Conselho Consultivo do Parque Estadual do Sumidouro, solicitando aplicações de recursos para a regularização fundiária da Unidade de Conservação.

Segue link para visualização do documento: http://www.4shared.com/office/iBH6DMfwce/Mocao_Regularizacao_Fundiaria.html

Contratação de brigadistas

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Minas Gerais (Semad) publicou, nesta quinta-feira (12/03) no Diário Oficial do Estado, o Edital 001/2015 para realização de processo seletivo simplificado para contratação temporária de profissionais para atuarem como brigadistas em prevenção e combate aos incêndios florestais nas Unidades de Conservação (UCs) de Minas Gerais.

 Os profissionais serão contratados por um período de cinco meses, prorrogável conforme interesse da administração pública. Serão disponibilizadas 408 vagas, sendo 340 para brigadistas e 68 para líderes de brigada, que atuarão nas UCs em atividades de prevenção, monitoramento e combate aos incêndios florestais. O profissional cumprirá carga horária de 40 horas semanais, conforme demanda das UCs. A remuneração é de R$ 1.126,92 para brigadista e de R$ 1.229,37 para líder de brigada.

 As inscrições são gratuitas e devem ser feitas no período de 12 a 17 de março de 2015, exclusivamente pela internet, no sítio eletrônico www.meioambiente.mg.gov.br, link Processo Seletivo Brigadistas 2015. Poderão participar candidatos que apresentem idade mínima de 18 anos completos na data da inscrição, estejam em dia com suas obrigações militares e eleitorais, além de atender outros requisitos definidos no edital.

 O processo de seleção dos candidatos será realizado em três etapas quais sejam: Inscrição, Curso de Formação de Brigada e Teste de Aptidão e de Habilidade no Uso de Ferramentas Agrícolas, de caráter classificatório e eliminatório. Os resultados parciais e finais do Processo Seletivo serão disponibilizados no sítio eletrônico da Semad, indicado acima e nas Unidades de Conservação/Locais de atuação constantes no Edital.

Para ter acesso a outras informações e à documentação exigida no ato da inscrição para o processo seletivo bem como os anexos constantes no Edital, acesse: http://www.meioambiente.mg.gov.br/component/content/article/13-informativo/2390-edital-brigadistas-2015

Fonte: Ascom/Sisema